fbpx

Visto para nômades digitais na Itália: veja como tirar!

Visto para nômades digitais na Itália: veja como tirar!

Uma das facilidades é que os interessados poderão solicitar o reagrupamento familiar de parentes  mais próximos como cônjuges ou filhos

 O novo visto para nômades digitais que desejam trabalhar e morar na Itália exige condições mais flexíveis se comparado a outros países da União Europeia como Espanha e Portugal. Um dos critérios refere-se à prova de rendimentos anuais de 28.000 €, que é menor do que em Portugal, por exemplo, que é de 29.520€. 

Outra vantagem é com relação à comprovação de depósito em conta bancária. Para este novo visto, o trabalhador remoto não precisa comprovar um depósito de 25 mil euros na conta como é feito para o visto espanhol, e caso haja dependentes deverá ser acrescentado apenas o valor de 9.441 euros para cada membro. 

Mais uma facilidade é que os interessados pelo novo visto poderão solicitar o reagrupamento familiar de parentes mais próximos como cônjuges ou filhos. A advogada da empresa de mobilidade global HAYMAN-WOODWARD Maria do Céu Santiago ressalta que o novo visto é uma ótima oportunidade para brasileiros que desejam morar na Itália,  sem a necessidade de obter visto de trabalho, podendo manter o contrato de trabalho ou de prestação de serviços com a empresa brasileira, ou com sede em qualquer país fora da União Europeia. 

“Este tipo de visto, permite que você explore o estilo de vida que um país europeu pode proporcionar, como, por exemplo, o acesso a infraestrutura digital avançada, permitindo acesso a conexões de alta velocidade e tecnologia de ponta facilitando o trabalho remoto; acesso a uma variedade de culturas, gastronomia, paisagens e atividades de lazer, além do acesso a cuidados de saúde e outros serviços públicos de elevada qualidade”, aponta a advogada da HAYMAN-WOODWARD. 

Além da prova de rendimentos anuais facilitada, este novo tipo de visto exige que o titular tenha um seguro de saúde para cuidados médicos e hospitalização válido na Itália e por toda a estadia. É preciso também ter assegurado um alojamento no país e ter comprovação de pelo menos seis meses de experiência de trabalho na mesma função que irá desempenhar na Itália, tanto para nômades digitais (freelancers) ou trabalhadores remotos – desde que com emprego em uma empresa fora da União Europeia. Além disso, a Lei da Imigração exige que a função a ser desempenhada seja enquadrada como altamente qualificada. 

Quem pode se candidatar ao novo visto?

O novo tipo de visto para nômades digitais na Itália pode ser uma ótima oportunidade para brasileiros que reúnam todas as condições de elegibilidade exigidas. Podem se candidatar todos os trabalhadores autônomos (freelancers) ou contratados por alguma empresa brasileira ou outra, desde que a sede seja fora da União Europeia, com comprovação por meio de contrato de trabalho e de prestação de serviços. 

Além disso, o interessado em obter o visto não pode ter sido condenado por nenhum crime nos últimos cinco anos. Ainda, trabalhadores autônomos devem solicitar um número de IVA (Imposto sobre Valor Agregado) e pagar os impostos locais. 

Quais países oferecem vistos para nômades digitais?

Sete países já aderiram ao visto de nômade digital:

  • Romênia
  • Japão
  • Portugal
  • Croácia
  • Espanha
  • Chipre
  • Grécia

Mais três países ainda planejam implementar o visto: Andorra, Montenegro e Letônia. A Alemanha oferece visto para trabalhadores autônomos freelancers por três meses, mas, dependendo do caso, a autorização pode se tornar um visto de residência de três anos. 

Confira também:

Fique por dentro das novidades com a #TrendsCHK.
Siga a gente nas redes sociais @trendschk.

NEWSLETTER

Receba as novidades no seu e-mail

Written by: Lucas Nóbrega

Deixe um comentário