fbpx

Mastopexia é procedimento mais desejado pós-gravidez

Mastopexia é procedimento mais desejado pós-gravidez, segundo levantamento

Embora haja a ansiedade em ter o corpo de volta, médico alerta para os cuidados necessários e que é preciso respeitar o tempo correto entre o parto e a cirurgia

Fadiga, alteração hormonal, falta de tempo para cuidar de si mesma, redução da autoestima. Estes são apenas alguns dos desafios de se tornar mãe, principalmente para aquelas que se olham no espelho e não reconhecem mais o seu corpo. A maior parte das insatisfações das mulheres está relacionada às mamas (66%), mas as gorduras localizadas na região abdominal não deixam de se destacar entre as queixas das mães (22%). Os dados são do estudo da Evive, clínica especializada em cirurgia plástica e dermatologia, para a criação do Programa Aurora, que levou 8 meses para ser concluído.

Durante a gravidez dois fatores principais contribuem para o efeito “queda” dos seios, denominado de ptose das mamas: estímulos hormonais e o próprio aleitamento materno. “As mamas aumentam de tamanho e diminuem após a amamentação sem que haja retração da pele suficiente para seu reposicionamento. Para os desconfortos gerados por esse tipo de alteração, existem procedimentos que buscam trazer o aspecto de firmeza e reposicionar os seios novamente, como as mastopexias com ou sem colocação das próteses de silicone”, explica o médico Laercio Guerra, especializado em cirurgia plástica e cofundador da Evive.

Na mastopexia, é feito o reposicionamento das mamas com a retirada do excedente de pele que possa existir. O procedimento eleva as mamas até a posição original, buscando simetrização e, em alguns casos, há também a necessidade do reposicionamento das aréolas e alteração do tamanho dos mamilos. Quando a mulher deseja aumentar o tamanho dos seios ou ter o colo mais valorizado, é utilizada a prótese de silicone.

Ele explica que, embora a ansiedade em ter o ‘corpo de volta’ após a gravidez seja grande, a mulher precisa estar consciente de que isso não ocorre da noite para o dia e é preciso aguardar um tempo após o parto para planejamento de qualquer procedimento cirúrgico. “A mãe passa por muitas transformações durante a gestação e seu organismo necessita de tempo para se reequilibrar. Cada caso é único e para ter bons resultados é preciso esperar essa readequação do corpo antes de se pensar em cirurgia. Este tempo envolve, em média, seis meses”, diz.

Além disso, há também que se observar o tempo de amamentação. Antes da data de cirurgia, é recomendado a interrupção da amamentação por três a seis meses a depender da cirurgia programada. O cuidado pós-cirúrgico requer ainda que a mãe conte com uma rede de apoio. “A paciente não deve carregar peso, fazer movimentos bruscos com os braços ou certos esforços”, ressalta. Tais restrições devem ser respeitadas por um período entre 15 e 30 dias.

Guerra lembra que a avaliação médica é essencial, pois cada paciente terá sua indicação cirúrgica específica e a melhor forma de tratamento. As técnicas do mommy makeover se concentram em procedimentos cirúrgicos para abdome, mamas e contorno corporal. “Nem sempre esses procedimentos isoladamente alcançarão os melhores resultados. Em alguns casos, o resultado desejado será conquistado com a associação de mudanças de hábitos de vida, como a prática de atividades físicas e reeducação alimentar, por exemplo, e é papel do médico passar esse tipo de orientação. Por isso, nos preocupamos em desenvolver uma jornada cuidadosa, que leva em conta até as questões psicológicas. Nosso foco não é apenas realizar a cirurgia, mas sim ajudar as pessoas a resgatarem sua autoestima”, diz.

Confira  também:

Fique por dentro das novidades e dicas de moda e beleza com o #TrendsCHK.
Siga a gente nas redes sociais @trendschk.

NEWSLETTER

Receba as novidades no seu e-mail

Written by: Eduarda Costa

Deixe um comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com