fbpx

Ditadura da beleza: 3 filmes para questionar padrões estéticos e inspirar o amor próprio

Especialista em procedimentos não invasivos defende busca por beleza saudável e indica filmes que abordam os padrões estéticos impostos pela sociedade e suas consequências

A aceitação do corpo ainda é uma questão delicada para muitas pessoas e parte disso se deve aos padrões estéticos impostos pela sociedade. Mesmo com todos os esforços para desconstruir a ideia de corpo ideal, a “ditadura da beleza” é uma realidade e essa busca pode se tornar perigosa, levando a alterações exageradas na aparência, transtornos alimentares, ansiedade e até depressão.

“A questão não é sobre como você aparenta, mas sobre como você se vê, como se sente em relação a si mesmo. É sobre qualidade de vida e saúde, muito mais do que a forma. Cada corpo é único e cada mudança que fazemos nele também. Procedimentos estéticos não invasivos e alguns cuidados com a aparência já fazem uma grande diferença na hora de levantar a autoestima e nos levam para o caminho de uma beleza muito mais natural e saudável”, comenta Aline Caniçais, fisioterapeuta dermato funcional da HTM Eletrônica, indústria referência no desenvolvimento e fabricação de equipamentos estéticos.

Pensando nisso, Aline indica três filmes que questionam a ditadura da beleza e inspiram a auto aceitação e o amor próprio. Confira:

Dumplin

Em “Dumplin”, a protagonista, interpretada por Danielle MacDonald, está determinada a desafiar os padrões impostos pela sociedade e surpreende sua mãe, uma ex-miss (personagem de Jennifer Aniston), ao se inscrever no concurso de beleza organizado por ela.

“O filme é adepto do movimento Body Positive, que incentiva as mulheres a amarem a si mesmas e a seus corpos, e questiona os padrões estéticos, mostrando que não existem regras para a beleza”, comenta a fisioterapeuta.

O mínimo para viver

Neste drama, uma jovem lida com a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença, Ellen (personagem de Lily Collins) passa os dias sem esperança. Porém, quando encontra um médico não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.

“A história é impactante por se tratar de um assunto delicado, que é o transtorno alimentar. A perda de peso é frequentemente associada a questões estéticas e isso leva as pessoas a acreditarem que os transtornos se restringem ao sexo feminino. Apesar de ser mais frequente em mulheres, o filme aborda ambos os lados, falando sobre superação e perspectiva de vida”, destaca Aline.

Sexy por Acidente

Em “Sexy por Acidente”, a protagonista, interpretada por Amy Schumer, luta contra sua insegurança e os constantes julgamentos em torno da sua aparência. Até que sofre um acidente, bate a cabeça e, ao acordar, passa a se enxergar como sempre achou que precisaria ser para poder ser aceita. Assim, passa a agir como a mulher mais linda do mundo, autoconfiante e capaz de qualquer coisa.

“Esse filme demonstra como a constante exposição das pessoas a modelos em capas de revista, celebridades e influencers acaba definindo o nosso desejo de busca por esse padrão não-natural e imposto. Ele ilustra muito bem a importância de focarmos em nossa percepção sobre nós mesmos, em detrimento de como o resto do mundo nos enxerga”, finaliza a especialista.

Confira também:

Fique por dentro das novidades e dicas de moda e beleza com o #TrendsCHK.
Siga a gente nas redes sociais @trendschk.

NEWSLETTER

Receba as novidades no seu e-mail

Written by: Eduarda Costa

Deixe um comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com